Uma transmissão que ninguém ouviu

Publicado em: 27/05/2007

Outro dia escrevi algumas passagens  com o Carlos Eduardo Mendonça, o Bolinha, uma figuraça. Hoje vou contar uma que merece destaque. Em 1965 o GE Olímpico foi jogar pelo Campeonato Catarinense no estádio Aníbal Costa, em Tubarão, contra o Hercílio Luz.
Por Edemar Annuseck

Eu estava lá pela Nereu com linha física – que era a melhor na época – e a Rádio Alvorada – sem linha – (emissora em que trabalhava o Bolinha) com o Ciro Hugen, grande locutor, já falecido. O Ciro  levou um transmissor de Ondas Curtas – para transmitir a partida. No sábado à noite nos encontramos e, fomos jantar numa churrascaria de Tubarão. Ele contou que já havia instalado a antena, puxando o cabo entre duas árvores, e, feito um teste positivo com Blumenau.
Ciro disse que no domingo sua transmissão não teria problema. E chega o dia do jogo. No domingo almoçamos juntos. A seguir nos dirigimos para o estádio. A transmissão da Rádios Nereu Ramos foi realizada sem qualquer corte pela – linha física – da Telesc.  Final da partida, vitória do Olímpico, por dois a um. Durante o desenrolar do jogo – eu estava transmitindo na pista do estádio, junto ao gramado, não tinha cabine para todo mundo – quando alguns torcedores tentaram amedrontar-me com gritos histéricos, que com certeza vazaram pelo microfone. Mas, isso era normal, e, continua assim nos dias de hoje no interior. Terminada a partida, ajudei o Ciro a desmontar o material para não perdermos o ônibus do Olímpico.
(Naqueles tempos a imprensa viajava com a delegação do clube, para evitar gastos maiores). Enquanto recolhíamos o material, perguntei ao Ciro Hugen;  e aí, como foi a transmissão ? E ele:  Perfeito,  Annuseck,  som de estúdio, foi sensacional. Na época era guerra pura entre as rádios para ver quem fazia a melhor transmissão, com o melhor som. Na viagem de  retorno – antes do jantar servido num restaurante à beira da rodovia – o ônibus parou na região de Cabeçuda, em Laguna. O goleiro Ézio Fernandes, do Olímpico, – que pegou tudo nesse jogo – queria pagar uma promessa. De sunga – já escuro – ele saiu do ônibus e mergulhou nas águas do braço de mar sob a ponte. Foi muito aplaudido. Na segunda-feira, já em Blumenau, defronte a Relojoaria Catarinense, na rua XV, fui abordado pelo Bolinha, comentarista e diretor de esportes da Rádio Alvorada : Annuseck você tem por acaso a ficha técnica do jogo de ontem ? No que perguntei: Mas, o Ciro não passou na transmissão ? E o Bolinha, enxugando o rosto com a tolha que trazia em volta do pescoço: Que transmissão Annuseck, que transmissão ?

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *