PRB-2: as muitas casas da Clube

Memória | Capítulo 13/2 | Sedes da Rádio Clube Paranaense

Ao longo de sua existência a Rádio Clube Paranaense teve diversas sedes: 01 – Mansão das Rosas, de propriedade do industrial Francisco Fido Fontana, na Avenida João Gualberto, nos primórdios da radiofonia do Paraná 02 – Residência do Sr. Lívio Gomes Moreira, em 1925, igualmente na fase inicial da Bedois 03 – No Edifício do Clube Curitibano, na Rua Barão do Rio Branco, esquina com Rua XV de Novembro, em 1926.  04 – Residência do Sr. Pedro Lapalú, na Rua Marechal Deodoro, esquina de 1º de Março (hoje Monsenhor Celso). 05 – Residência do Sr Oscar Peixoto, na Rua Saldanha Marinho.

06 – Belvedere do Alto São Francisco. 07 – Rua Barão do Rio Branco. 08 – Rua Monsenhor Celso. 09 – Rua Barão do Rio Branco, 135, onde teve o seu famoso auditório. No térreo havia a loja da empresa Santos & Irmão. No 1º andar a discoteca, a sala da Secretaria onde atuava Eôlo César de Oliveira, em seguida o auditório. No palco, um enorme piano de cauda que havia sido feito para uma exposição internacional e foi adquirido pela Bedois. Ao lado do palco, um estúdio de locução e uma sala com a mesa de som onde atuavam os operadores.

No andar superior, a sala do diretor artístico, o estúdio de radioteatro, a sala de ensaio dos cantores, os depósitos e um longo corredor ao fim do qual estava a escada pela qual se descia ao palco. Num andar inteiro do prédio vizinho, ligado por duas portas ao setor já citado, e onde antes estivera a Rádio Tinguy, as salas dos diretores e a cantina dos funcionários. Depois, vieram também para esse pavimento a sala do diretor artístico e o estúdio de radioteatro. Nessas instalações a Bedois permaneceu por muitos anos.

10 – Edifício Presidente, na Rua Westfalen. 11 – Edifício D. Manuel da Silveira D’Elboux, na Alameda Dr. Muricy, 926, quando a Rádio Clube passou a pertencer à Fundação Nossa Senhora do Rocio. 12 – Rua Rockefeller, 1311, após os Irmãos Maristas assumirem a direção da Fundação. Amplas e excelentes instalações.

Os transmissores

No bairro do Atuba a Rádio Clube Paranaense construiu um imóvel, especialmente para abrigar seus transmissores. Numa grande sala central instalou dois transmissores de ondas médias e três de ondas curtas. Nas laterais foram feitos dois apartamentos para moradia dos operadores dos transmissores. No mesmo terreno, estavam as torres de transmissão da emissora.

Ubiratan Lustosa. O Rádio do Paraná – Fragmentos de sua história. Curitiba, 2009. Instituto Memória, Editora e Projetos. 41 3252 3661. www.institutomemória.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *