Papo Livre 52

Toda cidade tem lá seus personagens folclóricos, uns dóceis, outros extranhos, outros ainda não muito mistosos. Curitiba sempre teve marcante presença dessas figuras. Na crônica de hoje, Ubiratan Lustosa relembra as figuras do Negro Bate Bate e do Maneco Sabão;  sem esqueceer do Barbaquá e da Maria do Cavaquinho.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *