O virtuosismo de João Vicente Macedo

Lá pelos anos oitenta, quem freqüentava as inesquecíveis reuniões das segundas-feiras do CIB – Centro Ítalo-Brasileiro, ali na Rua João Teles, bairro Bonfim, ia ao encontro da boa música, onde se apresentavam os cobras da noite alegrense.
Por José Alberto de Souza

Grandes instrumentistas lá se apresentavam graciosamente, apenas pelo prazer de tocarem juntos nessa única oportunidade, de vez que nos outros dias da semana tinham os seus compromissos profissionais nas diversas casas noturnas em que atuavam.
Entre os violonistas, lembro-me de Jorge Machado, Paulo Santos, Jessé Silva, Darcy Alves; dos cavaquinhos de Lúcio Quadros e Admar Rodrigues; da gaita-ponto de Paulo Barbosa; da percussão de Osmar Gonçalves e de Alberto Garrido, entre outros tantos.
Na época, havia um garoto de 16 anos assombrando num violão de sete cordas, que recém tinha preferido ao bandolim do qual já era uma grande promessa.
E a gente costumava esbarrar-se nestas quebradas noturnas, como daquela vez em que partilhávamos da mesma mesa junto ao mitológico Johnson e a voz de veludo de Rochele Hudson, locutora da Rádio Itapema com pendores para o canto.
Pois ali estavam ele e a Rochele curtindo tremenda dor de cotovelo e escutando o discurso do Johnson, solteirão convicto, sobre as mazelas do ciúme, numa postura de conselheiro sentimental.
Então os dois revesavam-se numa troca de farpas ao microfone, cantando e tocando músicas que pisavam nos calos de um e de outro.
Eis que agora recebo mensagem do Imortal Glênio (este título foi-lhe concedido pela comunidade de Capão da Canoa), comunicando-me sobre a existência de dois links: num deles João Vicente Macedo interpreta VELAS    http://br.youtube.com/watch?v=7Si53G1J-ds, e no outro, encontro em Ipanema, MERCEDITA . http://br.youtube.com/watch?v=lUAyJjhSQHU
Eis o recado do nosso querido patrono:
“Alô, amigos!
“Recomendo visitar o show de violão de João Vicente Macedo, ex-piá de ontem, que conheci abraçado ao inseparável bandolim e que mais tarde trocou-o pelo sete cordas, não sem antes ser parceiro de Jessé Silva e duelar com os netos de Túlio Piva (Rogério e Rodrigo) por horas e horas pelos caminhos do chorinho e do samba.
“Já despertando a curiosidade das meninas tentadoras da madrugada, tornou-se um músico acompanhante, tipo exclusivo, de Paulo Sant’Anna, seresteiro de prontidão que cantava até o dia nascer.
“Assim, ele foi se apaixonando pelas noitadas, bares, mulheres bonitas e amizades, umas boas e outras nem tanto.
“A roda da vida correu rápida e nos perdemos de vista,
“Hoje é um mestre do sete cordas e, creio, que nem o Pablito sabe do virtuosismo atual do seu músico predileto.
“Foi muito bom saber da existência desse vídeo – queremos outros mais – que assim faz justiça ao músico.
“Um chinchado quebra-costela para ele – sua arte e talento – e para todos que atenderem a esta minha mensagem.
GREIS”
 


{moscomment}

1 responder
  1. leila Trigo says:

    Prezado,

    você pode verificar o blog do João vicente 7 cordas: jvm7cordas.nafoto.net ou deixo o recado:
    projeto CENÁRIO: dia 26/05/2009 o Trio ( João Vicente – 7 cordas; Samuel – acordeon; Fernando Sessé – percussão) e a primeira convidada do projeto: Denise Lahude.
    Local: Casa do Barão – Avenida Jerônimo de Ornelas, 431 – Porto Alegre/RS
    Fone: 51) 3026-0784

    Leila.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *