O SONHO

1. “Eu quero,
um bangalô cor de chocolate,
com gradinhas em frente,
Luluzinho que late,
peixinhos vermelhos,
nadando,
num lago azul,
no centro de um jardim,
passarinhos cantando,
para você
e para mim.”
Por Elóy Simões

“Lá dentro,
a criançada brincando,
numa gaiola dourada,
papagaio falando
de amor,
então, sim,
dona felicidade quer,
morar conosco eternamente,
se você quiser.”
2. Quando criamos, a partir de uma idéia do Chico Socorro, o Prêmio Acaert de Rádio, sugerimos que logo após a realização da sua primeira edição, ele ganhasse dimensão nacional. Era, até então, uma idéia inédita e vimos que, através dela, o prestígio do rádio catarinense poderia se projetar em todo território nacional.
Não foi possível, e o Grupo de Profissionais de Rádio – GPR lançou, em seguida, o Prêmio dele. Claro: como a sede da entidade fica em S. Paulo, sua repercussão foi muito maior do que a iniciativa da Acaert. E o prêmio GPR de rádio roubou,  pelo menos na cabeça da imprensa, o pioneirismo dos catarinenses.
Acontece que o GPR dá tão pouca importância para o rádio de Santa Catarina, que ao se expandir para o Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul, simplesmente desconheceu nosso Estado.
3. Fizemos, naquela mesma oportunidade, outra sugestão à Acaert. De que ela, ao lançar nacionalmente o Prêmio, promovesse em Florianópolis o Festival do Rádio. E criasse, em conseqüência, o Palácio do Rádio. Um local onde tudo o que se relacionasse com esse meio – relíquias, história, negócios, informações diversas etc – estivesse reunido. Lembramos, inclusive, que a Câmara Municipal estava para mudar de endereço. E o Palácio do Rádio poderia funcionar ali.
(Outra coincidência: de lá para cá o Rádio passou a fazer parte do Festival de Cannes.)
Mas a idéia do Palácio do Rádio, um sonho deste velho sonhador, ficou esquecida.
4. Tomara que ele não surja em outro Estado.
E que o meu devaneio não fique naquele sonho composto pelo prof. Miranda e gravado na década de cinqüenta pela Neyde Fraga,  que reproduzi lá em cima.


{moscomment}

14 respostas
  1. Sinara Oliveira says:

    Minha mãe cantava esse samba para mim quando eu era cirança, e hoje canto para minha filha….

  2. LUIZ ALBERTO SILVEIRA says:

    Porcurava por esta letra desde a década de 50, bem como a gravação da Neyde Fraga. Infelizmente não encontrei. Nuito obrigado pela letra. Um abraço.

  3. Aline says:

    Por favor, qual é o cantor desse samba? Minha vó sempre me cantou essa música e ela nunca soubo quem cantava, adoraria dizer pra ela que eu descobri. hehe

  4. Raphael Araújo de Miranda Alves says:

    Sou neto do Prof. José Miranda. Estava procurando alguma gravação da música de meu avô e acabei vindo parar aqui nesse site. Sei que existe uma gravação de Wanderley Cardoso, mas nunca encontro a sonora da música. Conheço de ouvir meus tios e primos tocando.

    Abraço.

  5. Ernani Ferandes says:

    Tenho 59 anos e quando tinha aproximadamente 6 anos, lembro-me que íamos na casa de minha vó, e sempre pediam que eu cantasse esta música com meu tio me acompanhando no violão.
    Agradeço a que registrou esta música no google e também ao o google, que me perdoe quem não concordar, mas ele é para mim a oitava maravilha, pois as coisas mais difíceis de se encontrar, eu encontro nele, parabéns a todos que fazem do google este grande instrumento de apoio.
    Sou de Rio Grande RS, hoje em porto alegre, e deixo aqui um grande abraço a todas as pessoas que curtem estas coisas gostosas.

  6. Hermila Figueiredo says:

    Assim como outros leitores nesse site meus familiares cantavam essa música.
    Gostaria de ter a música, bem como saber o autor da mesma.
    sds
    Hermila Figueiredo

  7. Carlos Abreu says:

    Adoraria receber esta musica que minha mãe, hoje com 88 anos, sempre cantava para mim…

    Grato

  8. Eriberto says:

    Minha vó faz 90 anos neste mês e estou fazendo uma homenagem para ela, gostaria muito de colocar essa música, já que ela cantava para mim. Fico muito agradecido se puder me mandar.

  9. Hermila Figueiredo says:

    Boa tarde,
    Você sabe quem é o autor da música “Eu quero um bangalô cor de chocolate?”
    sds
    Hermila Figueiredo

  10. Marco Aurélio Alves Costa says:

    Sou neto do autor dessa música – o Prof. José de Miranda Alves. Tenho muitos dados sobre ele.

    Quem quiser, pode entrar em contato.

    [email protected]

    Abraços

  11. Mabel Cristina do Amaral says:

    Olha só que coisa.
    Estou no meu trabalho e de repente eu me lembrei desta canção que a minha querida mãe falecida em 2012 cantava quando eu e meus irmãos eramos crianças. Eu sempre gostei dela, mas eu achava que era uma canção da cabeça da minha mãe. E hoje me lembrei dela e resolvi entrar no google por mera curiosidade. E não é que ela existe mesmo? É muito gostoso lembrar da nossa infância e ter com quem compartilhar. Um abraço.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *