O preço da desilusão

Publicado em: 10/08/2012

Alexandre Cabreira *

Acompanho futebol desde 1977, quando o timaço do Atlético Mineiro perdeu nos pênaltis para o São Paulo. Reinaldo, que poderia ter ficado pra história como o maior centroavante do futebol em todos os tempos, perdeu INVICTO o título do Brasileirão para o botocudo Chicão. Talvez venha daí minha alergia pelo defensivismo e por volantes. Se volante fosse tão importante, o carro teria quatro. Não tolero times medrosos, retranqueiros, onde técnicos se escondem atrás de pirotecnias numéricas, pois o 3-5-2; 4-4-1-1 e as variações, não passam  de puro blefe, artimanha para enganar torcedores, pseudojornalistas e aos diretores, a fim de manter o emprego.

Assisto a uma média de 12 jogos por semana, de todos os países. Mano, acho eu, não gosta de futebol, pois seu estilo retranqueiro contraria o modo brasileiro de jogar futebol.

A ofensividade, a magia e a picardia deveriam constar na Constituição de nosso futebol; cláusulas pétreas.

Numa de suas mal humoradas, soberbas e irônicas entrevistas coletivas, Dunga debochou dos jornalistas ao dizer que vocês preferem os perdedores de 82 aos vencedores ?? de 94. Mano é irônico ao ponto de ser chato – e petulante.

Acho que em 94 só os jogadores ganharam – o verdadeiro futebol brasileiro foi derrotado, sua magia, sua essência.

Prefiro perder 100 vezes igual a 1982 do que jogar feio daquele jeito e conquistar uma copa sem graça, com o rabo entre as pernas.

Paulo Sérgio, Vampeta e Anderson Polga foram campeões do mundo. Zico, Sócrates, Júnior, Reinaldo, Falcão e Careca não.

Como disse o mestre Fernando Calazans: Zico não ganhou a Copa do Mundo?? Azar da Copa do Mundo”.

A palavra goal significa objetivo, em inglês. E é o único que importa. Todo o resto é desculpa de treinadores medrosos.

Terminando, um recado ao Mano Menezes:

Sábado, 11 horas, em Wembley, o lance é bipolar:

Ouro, consagração. Prata, demissão.

* Alexandre Cabreira é jornalista e atua no rádio e na Web no Sul do Estado | http://www.alexandrecabreira.com

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *