Novas tecnologias estão levando as pessoas ao isolamento

MILTON – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Milton, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

MILTON – Ethevaldo, hoje quem faz a pergunta a você é um nosso ouvinte

OUVINTE (Décio Carreão) – A modernização e a tecnologia do nosso mundo estão levando ao isolamento das pessoas, já que conseguimos executar as nossas tarefas com menor esforço e menos interação pessoal?

ETHEVALDO: Caro Décio: Você tem razão. Tudo isso que você menciona em sua pergunta tem acontecido. A tecnologia é um dos fatores de mudança de comportamento e, realmente, tem produzido ou reforçado na maioria das pessoas essa tendência ao isolamento nas últimas décadas.

E essa tendência deverá continuar, em especial com a expansão acelerada da internet, do celular e dos dispositivos móveis. Os mais atingidos continuarão sendo os jovens e crianças, que passam horas diante do computador, com seus videogames e a navegar na internet.

Com esse novo estilo de vida, esses jovens quase não praticam esportes, perdem o contato com a natureza e com a própria família. O mesmo pode acontecer com os adultos.

Mas isso não é uma fatalidade nem um mal sem remédio, Décio. À medida que ganha consciência do problema, o mundo começa a reagir, com ações educativas por parte da família, da escola e das empresas – com mais exercícios físicos, mais atividades artísticas e de maior contato com a natureza.

O desafio, entretanto, é grande, Décio. A humanidade apenas começa a perceber o problema. Alguns países – como a Finlândia e a Suécia – tentam mudar esse quadro de isolamento e de quase desumanização imposto pela tecnologia, ao debater as soluções na escola e nos meios de comunicação para ajudar as novas gerações a buscar o equilíbrio perdido.

Acho que, também no Brasil, está na hora de levar esse tema para as escolas, para debate na sociedade, com a participação dos pais, professores, psicólogos e organizações especializadas.

Obrigado, Décio, por sua excelente pergunta.

MILTON – Até amanhã.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *