Lauro Quadros, dos gramados ao Polêmica

Publicado em: 15/03/2006

Nos anos 70, cada jornada esportiva da Rádio Guaíba é um show à parte do futebol que rola nos gramados, opondo quase sempre torcedores do Grêmio e do Internacional. Por Luiz Artur Ferraretto

Ao lado da voz precisa e clara do narrador Armindo Antônio Ranzolin, além do plantão Antônio Augusto, alternam-se os comentaristas Ruy Carlos Ostermann, de seriedade inconfundível na qualidade das suas informações e opiniões, e Lauro Quadros, ousando explorar descontração ao microfone da mais sóbria emissora do estado.
Antes, nas décadas de 50 e 60, baixinho e elétrico na beira dos gramados, Lauro já se destacara com suas perguntas precisas, percepção acurada e português correto, dando consistência à reportagem esportiva no rádio do Rio Grande do Sul. Fora estas qualidades, ele acrescenta, com o tempo, descontração a uma atividade em que o ouvinte ainda é chamado, com cerimônia, de senhor, e o profissional de microfone usa terno e gravata. É uma figura curiosa por vezes. Em certa ocasião, paletó e o formal pedaço de pano preso por nó no colarinho da gravata, coloca bermuda floreada e entra em campo para trabalhar. Óbvio que chama a atenção de todos.
Em 1969, torna-se comentarista na Guaíba, consagrando expressões muito particulares. Para definir profissionais ou elogiar um lance de brilhantismo, sai-se com um “esse conhece o rengo sentado e o cego dormindo” ou “ele sabe a cabeça que tem piolho”. Quando quer indicar uma área do campo de marcação deficiente do adversário por onde um time pode chegar ao gol, solta um “ali é o caminho da roça”. E, para encerrar um raciocínio, larga outra marca registrada: “É isto aí mais meio quilo de farofa”.


Anúncio do programa Polêmica.

Um grenal na voz de Ranzolin, ganha, então, dois comentaristas para contentar a todos. E é uma fórmula imbatível. De um lado, a opinião de voz pausada do professor Ostermann, com formação na área de Filosofia e um dos textos melhor construídos do rádio esportivo brasileiro. De outro, o tirocínio e a alegria de Lauro Quadros. Nenhum dos dois demonstrando preferências clubísticas, mas ambos somando qualidade às irradiações da Guaíba.
Mas por que falar de Lauro Quadros em meio a estes tantos grandes profissionais de jornadas perdidas na lembrança? Pois ele, há oito anos completados no dia 3 de março, garante a mesma seriedade risonha ao Polêmica, programa de debates apresentado, de segunda a sexta-feira, na Rádio Gaúcha, sempre às 9h30. No finzinho da atração anterior, quando o Ranzolin se despede de seus ouvintes do Gaúcha Atualidade e troca breves palavras com o Lauro, parece que os ponteiros do relógio voltam atrás. Não é só, óbvio, para os tempos deles na Guaíba, mas também para as décadas de 80 e 90 com ambos na Gaúcha. Tardes e noites de futebol para não esquecer mesmo, independente do resultado favorável ou desfavorável ao time do coração. Tardes e noites para lembrar nem que seja por um instante fugaz na passagem do Ranzolin para o Lauro. Marque aí: por volta das 9h25 na Gaúcha AM, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.
 


{moscomment}

4 respostas
  1. Moacir Ghisio says:

    Para se oposentar devemos nos direcioner para outra ocupação
    Não da para para ficar sem fazer nada Quem vai se aposentar tambem se não esta preparado
    deve fazer um preparo com um psicologo se for o caso.

  2. Nilson de Souza Gaya says:

    URGENTE – URGENTE

    Lauro, a demissão do juiz é irregular e ilegal. Os juízes gozam de de imovabilidade de seus cargos e da função pública de forma perpétua. O máximo que o TJ poderia fazer é aposentá-lo, mas mesmo assim o juiz não perde os seus vencimentos mensais como juiz e nem a função de juiz aposentado. Será que o juiz não vai em ação anulatória de sua despedida ilegal reclamar danos morais contra o Estado?

    Será que o fato em sí não foi projetado previamente pelo juíz como forma de conseguir sua aposentadoria de forma compulsória antecipadamente, sem o prejuízo de seus vencimentos mensais?

    Estranho um juiz assediar uma mulher com tantas outras mais belas nas casas noturnas da capital que fazem companhia de forma profissional?

    Ai tem. E sabemos que um juiz conhece as leis e as formas de como deve proceder para atingir determinado objetivo.

    Obrigado.

    Nilson de Souza Gaya
    OAB/RS 38E496

  3. Reginaldo says:

    Sr. Wianey Carlet…
    Eu fico impressionado com a cara de paú de alguns politicos, que vão ao programa. O Deputado Daniel Bordignon, na ultima eleição à Prefeitura de Gravataí, teve a sua candidatura impugnada, devido as irregularidades de sua administração. Câmara de Vereadores (Gravataí, TCE e TCU não aprovaram as suas contas).
    Agora, ele aparece no programa, cheio de moral (cuecas), falando que os corruptos tem que ir para a cadeia. Se eu fosse ele, falava baixo, se não…

    Parabéns pelo programa.

    Reginaldo

  4. helio jose da silva says:

    lauro quadros teria que terminar a releiçao terminar com os cascudos

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *