Existe algum tipo de interatividade do consumidor final com a programação?

Nos primórdios da televisão brasileira eram comuns programas de auditório ser realizado com a participação de público presente nos locais de gravação, que era a única forma de uma interatividade em tempo real, de um programa, com um pequeno grupo localizado, que ainda persiste nos dias de hoje.
Por Engº Luiz Reis  

Interatividade entre o telespectador e o gerador de conteúdo, em tempo real, não é disponibilizado a um custo adequado. Há alguns anos, a televisão analógica terrestre brasileira, criou programas, com pesquisas agregadas, visando estabelecer uma interatividade com o telespectador e vem tentando ampliar esse grau de interatividade em programas como, por exemplo, os reality shows, que ainda esbarram em questões como o pagamento pelo usuário de um canal de retorno, muitas vezes o telefone ou a internet, sem falar no fato de que as respostas nem sempre são obtidas de imediato (real time), o que limita a utilização atual.
A interatividade entre o telespectador e o provedor de conteúdo é o que mais vai revolucionar a televisão da forma como a vemos atualmente, como eu digo, saindo da passividade para uma interatividade.
Citando Bertoldo Brecht, in Radiotheorie (1932), Gesammelte Werke, VIII, p.129-130, 134)
A radiodifusão há de ser transformada em aparelho de comunicação.
A radiodifusão poderia ser o mais fantástico meio de comunicação imaginável na vida pública, um imenso sistema de canalização.
Quer dizer: isto se não somente fosse capaz de emitir, como também de receber; em outras palavras, se conseguisse que o ouvinte não se limitasse a escutar, mas também falasse, não ficasse isolado, mas relacionado…”

A possibilidade de influir diretamente na programação das emissoras é outro uso possível para a interatividade, deixando claros a sua concordância ou descontentamento com os programas oferecidos, seja de forma indireta, através de um retorno imediato dos índices de audiência, ou através de uma pesquisa específica, demonstrando o que a população deseja e não deseja ver veiculado na televisão. Hoje em dia já acompanhamos alguns processos de interação dos telespectadores com determinadas programações, como é o caso das telenovelas, que partem de uma concepção inicial, mas pode ter a trama alterada, dependendo das informações recebidas do público.

Um programa de auditório transmitido ao vivo também pode ser modificado de acordo com a audiência medida, quando atrações, como apresentações de cantores, são mantidas por tempo além do programado, quando grandes índices são obtidos. Em alguns programas, realizados ao vivo, as pessoas poderão participar diretamente de suas casas, tendo as suas imagens transmitidas a partir de uma câmera de baixo custo, do tipo webcam;

Uma pesquisa de mercado demonstrou o interesse na possibilidade de se utilizar o aparelho de televisão como terminal de acesso à internet ou como interface de caixa-postal para deixar recados (e-mail), podendo ser na forma de texto, gravação sonora, ou áudio-visual, aproveitando-se dos recursos multimídia do televisor; ao ligar o televisor, a pessoa leria o recado ou receberia boletins ou assuntos do seu interesse. Esse serviço, se disponibilizado, seria muito importante rumo à inclusão digital, devido à importância que os brasileiros atribuem ao aparelho de televisão priorizando a compra do mesmo, quando comparado à necessidade de ter um computador popular.
Logo, esse modo de interatividade, via televisão digital terrestre certamente garantiria nova forma de acesso à inclusão digital.
A interatividade poderia permitir ao usuário, definir seus programas preferidos, recebendo um aviso de quando e em quais horários estariam os mesmos a disposição.
Poderia ainda oferecer mecanismos de busca na programação, baseado em palavras chaves, de forma a encontrar tipos de programas do seu interesse, dentre os canais disponíveis.
Isso certamente colocaria a televisão terrestre em pé de igualdade com a televisão paga,
Podemos citar ainda como exemplos de interatividade:
– Obtenção de dados de personagens de uma novela ou de um filme;
– Questionários e informações adicionais no caso de um programa educativo;
– Informações sobre as condições do tempo, do trânsito, cotações da bolsa, câmbio de moedas estrangeiras, resultados de partidas de futebol, etc.;
– Interação com home banking, home shopping, e-voting;
Quais são os ( sistemas ) padrões de TV Digital?
Hoje os disponíveis, por ordem de início de funcionamento, são:
– Padrão Americano – ATSC;
– Europeu – DVB-T
– Japonês – ISDB-T
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *