As voltas que o mundo dá

Publicado em: 01/03/2008

Florianópolis tem o Clube do Choro, não tem? Tem. Mas, onde está o Clube o Choro? O rato comeu. Cadê o rato? O gato comeu. Cadê o gato? Foi pro mato. Cadê o mato? O fogo queimou. Cadê o fogo? A água apagou. Cadê a água? O boi bebeu. Cadê o boi? Está moendo trigo. Cadê o trigo? O padre comeu. Cadê o padre? Está dizendo missa. Cadê a missa? A missa acabou”.
Por Antunes Severo

Nesta história o caminho é um pouco diferente. E, na verdade, o joguinho de palavras que animou a infância de muita gente aqui aparece somente para agradar a parte dos leitores com maior quilometragem. O Clube do Choro até que andou meio titubeante, mas felizmente, está vivo e forte.
Na segunda-feira passada, já pela manhã recebo mensagem do José Alberto de Souza que me presenteia com o texto de correspondência em que se fala de uma noite de seresta ocorrida na noite anterior em Canasvieiras, aqui em Florianópolis.
Li, me encantei e de imediato escrevi cumprimentando o JA de Souza e ao mesmo tempo fazendo a minha choraminga “mas então cara, tu tens coragem de vir a Florianópolis e não me falar nada e ainda vem festar e só me conta depois de tudo passado?”.
O JA se desculpa e me explica que a mensagem ele acabara de receber e mandara cópia para eu estar informado de as quantas anda o nosso Clube do Choro – digo nosso porque sou um dos sócios fundadores, embora esteja muito longe de ser um sócio participativo.
Então, caro leitor e futuro ouvinte, transcrevo abaixo a mensagem que gerou este registro. E aproveito a oportunidade para dizer que é nossa intenção firmar parceria para disponibilizar aos Caros Ouvintes o riquíssimo acervo sonoro do Clube do Choro.
 


 

 

Caros amigos e amigas,

 

Agradeço a todos pela presença no encontro de ontem à noite. Um verdadeiro sarau musical na Ilha da Magia. O que rolou mesmo na noite de ontem que estava linda, tempo gostoso e a lua nos observando? Um pequeno ensaio de Samba e Choro de quase 7 horas, ocorrido praticamente 1 hora na casa dos amigos Falcão e Neusa, 2 horas no Espaço de Arte Carijó, Praia de Canasvieiras, oportunidade em que estiveram cerca de 30 pessoas e mais 4 horas frente ao mar. Um privilégio de poucos!

 

Depois da apresentação oficial ao respeitável público que nos prestigiaram, crianças e adultos, fomos para a área externa do Prédio, um local privilegiado, frente ao mar, onde continuamos o Sarau Musical com a participação direta do público e da elite de músicos: Falcão (compositor, percussão e voz), Neusa (afoxé), João (bandolim), Valtinho (cavaco e voz), Macalé (cavaco e voz), Paulo (cavaco e voz. Este garoto vai longe. Tem um tremendo swing para tocar e cantar nossos sambas), Marco Antônio (violão de 7 cordas) e Claudionor (surdo). André (percussionista) teve que sair mais cedo. Claro, com uma dupla de gêmeos recém chegados do mundo espiritual ao planeta Terra, sua responsabilidade toma um curso diferente do nosso. Praticamente mais 4 horas adicionais de sambas e choro. Saímos as 24h40 e nossos músicos e o público ainda continuaram a comemoração festiva. O que rolou depois disto? Alguns convites para novas apresentações. Certamente atenderemos com imenso prazer e alegria em nosso coração. 

 

Qual foi a nossa curtição nessa noite esplendorosa? O que foi tocado e cantado? Nelson Cavaquinho, Cartola, João Nogueira, Fundo de Quintal, Arlindo Cruz, Almir Guineto, Alcione, Roberto Ribeiro, Sombrinha, Jorge Aragão, Royce do Cavaco, Paulinho Nogueira, Waldir Azevedo (Brasileirinho e Delicado), Joaquim A. Calado e Catulo da Paixão (Flor Amorosa), Doce de Coco (Jacob do Bandolim) e muitos outros compositores de nossa múltipla e imensa variedade da música brasileira.

 

Pena que Eládio (nosso violonista de 6 cordas) e Paulo Roberto (pandeiro) não puderam comparecer. Foi uma noite excepcional, acreditem nisso. Puxa, gente, como é difícil para as pessoas saírem de casa e desfrutarem de um tempo que passa a ser inesquecível em suas vidas. Ali, naquele Espaço, esquecemos das crises existenciais e dos graves problemas das economias e da sociedade. Curtimos mesmo é a alegria de viver num ambiente saudável de pessoas de bem e num local excepcional: a cidade de Florianópolis.

 

Muitas pessoas foram convidadas e outras não. Infelizmente, muitos de nossos amigos e amigas não foram convidados, mas da próxima vez isso será feito com certeza. Os que lá compareceram puderam curtir uma noite de alegria e felicidade, pois, ali estavam pessoas com um astral elevado, podendo isso ser percebido em suas faces e no jeito de se expressarem.

 

Gente, as pessoas podem ser felizes! Não se esqueçam disto. Basta por um momento doar um pouco de seu tempo. Ao invés de estarem em casa vendo filmes, bebendo, brigando, discutindo, criticando etc., saiam deste espaço por alguns momentos, façam a doação de seu tempo às pessoas que precisam mais que a gente. Por exemplo, uma visita ao amigo enfermo no hospital.

 

Nosso Grupo Samba-Choro estará fazendo isso no ano de 2008, participando de festas comemorativas e tocando nos lugares onde pessoas mais carentes necessitam (para contatos liguem 3266-1398 e falem com o Falcão). Amigos lembrem-se: muitas pessoas não têm família, muitas pessoas não podem comprar um aparelho para ouvir uma música, outros não podem comprar um aparelho eletrodoméstico para colocar em sua casa ou mesmo dispor de um sofá para sentar. Ta aí uma boa oportunidade para desfazer-se de algumas coisas que você dispõe. Troque e doe algumas peças para quem precisa.

 

Aproveito o ensejo para parabenizar o amigo Falcão pelo seu talento. Que inspiração. Aliás, este seu talento de saber abrir seu coração e colocar palavras em nossa boca e em nossos corações, leva-nos a refletir muito sobre a vida, nossas emoções e nossa amizade. A música feita em homenagem a Canasvieiras é algo para se pensar muito e ficar ouvindo muito tempo. Claro, de preferência frente ao mar com as ondas banhando nossos pés ou nossa imagem e também com a lua iluminando nossa pobre figura de ser humano em busca da compreensão das coisas de Deus.

 

No contato direto e próximo do coração feito com o outro talento Marcoliva a noite poderia ter se encerrado ali. Ao abraçar-me, ele disse: estamos aqui falando, abraçando, tocando, cantando e desfrutando dessa noite de alegrias, algo que não existe nada para se medir ou adotar como forma de pagamento. Viver entre amigos e desfrutar de momentos assim, de privilégios, é algo para se pensar e filosofar por muitos anos. Momentos excepcionais que apenas alguns mortais conseguem.

 

Portanto, quero dizer aos amigos e amigas que vocês precisam conhecer este moço talentoso na arte de falar, fazer poesias, compor, tocar violão e cantar. Puxa, parece que Deus dá alguns talentos a mais para algumas pessoas. Ele tem um CD gravado, participou de outras gravações com Grupos do Nordeste e esteve no Programa Sr. Brasil produzido e dirigido por Rolando Boldrin.

 

Quero falar também do Espaço Arte Carijó onde está localizada a ONG (Organização Não Governamental) “Crescendo com Arte”, que faz um trabalho esplendoroso com as crianças e adultos de famílias mais carentes. Puxa gente, devemos acordar e ajudar as pessoas. Fiquei imaginando assim: se em cada cidade brasileira e em cada bairro de cada cidade tivesse uma infra-estrutura de apoio social e de arte às famílias, nosso País seria outro. Imagine as crianças crescendo aprendendo com a Arte. Certamente, não teríamos um País tão corrupto e tão difícil. Afinal de contas, nossos representantes políticos precisam acordar para essa realidade. Que tal fazer um movimento nesse sentido! 

 

Por fim, este Espaço, segundo seu Coordenador Marcoliva pode abrigar as Rodas de Choro da Ilha da Magia. Por que isso? Porque o Clube do Choro de Florianópolis está em busca de um espaço para retomar suas atividades e unir músicos e público em prol da música brasileira. Lembrem-se: o Choro é o primeiro gênero musical nascido no Brasil. Utilizando a expressão do amigo Falcão que dirigiu uma bela mensagem a nossa instrumentista Fernanda do Grupo Ginga do Mane: “Como você está vendo aos poucos a gente vai arrumando espaço e encontrando soluções práticas para cada etapa de resgate do Clube do Choro”.

 

Gente para conseguir qualquer objetivo na vida é preciso não apenas de nossa vontade e determinação, mas da cooperação dos amigos e amigas. Portanto, contamos com a energia e perseverança de vocês. Vamos ajudar a resgatar os nossos valores culturais, começando a apoiar ações voltadas para ajudar as pessoas. Dêem o retorno à nossa mensagem e proposta de seguir adiante em prol da música, da arte e da recuperação do homem. Claro que existe um campo imenso, variado e infinito para colaborar na recuperação dos homens e da sociedade, mas, é possível fazer a nossa parte, agindo de forma prática e presencial.

 

Não basta dizer, siga adiante com suas idéias. Esteja presente, vá ao encontro, participe e colabore de forma prática com suas idéias, mãos, pés, recursos e tudo mais que for possível. Vamos trabalhar a favor do Brasil e de nossas crianças para mudarmos os traços de nosso poder político e econômico. Que tal colaborar com a ONG “Crescer com Arte” ou mesmo com outros como a “Casa dos Girassóis”, “Comunidade Aberta”, etc. Existem muitas delas em nossa Ilha.

 

Estamos programando para o mês de março de 2008 a realização da Roda de Choro e Samba neste Espaço Cultural na Praia de Canasvieiras, aberta ao público. E vocês estão convidados desde já. Vamos apenas acertar com o Coordenador Marcoliva os procedimentos operacionais para sua efetivação.

 

Finalmente, não poderia deixar de enviar uma boa música para ouvirem. A este respeito estou gravando no computador um diretório de músicas que já tem cerca de 20 GB. Creio que em breve terá cerca de 50 GB de músicas variadas. A idéia é deixar este arquivo em forma de back-up e depois emprestar aos amigos. Assim, os amigos poderiam também gravar seu estoque/material existente em casa e emprestar também para copiar. 

 

Cordialmente, do amigo de sempre, João Randolfo Pontes

 

 


{moscomment}

1 responder

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *